domingo, 25 de outubro de 2009

Lura

Minha gente, ouçam Lura. É muito muito muito bom!



quinta-feira, 18 de junho de 2009

Eu, Luzeiro e Geraldo


Hoje a carona ia chegar mais tarde e fui trabalhar de ônibus. Não foi azar não, adoro andar de ônibus, geralmente são os meus momentos mais felizes com meu mp3 Luzeiro (sim, ele tem nome e é lindo! Se quiser apresento ao Mojo, Alex).

Veja bem, de carona eu não posso ir de fone no ouvido, pois é de bom tom ir papeando, concordam? Eu juro que fiquei feliz com a notícia, chega me preparei emocionalmente, e parece que eu tava era adivinhando: tinha colocado Geraldo Junior e Dr. Raiz ontem no Luzeiro (ele adora); e sol com pé-de-serra juntos me dão uma sensação fantástica de que estou na praia ou indo para ela, é ótimo mesmo.


Dr. Raiz é uma banda do Cariri que se enquadra nessa nova leva que o pessoal tá chamando de cabaçal: gente jovem do Ceará se inspirando nas tradições populares para fazer uma música de raiz com elementos e contexto atuais. Quando eu ouvi Dr. Raiz pela primeira vez (obrigada, Na Légia, minha introdutora), foi uma paixão absurda, porque não é nem bom nem bonito: é excelente e lindo.




Geraldo Junior era o vocalista quando eu conheci a banda, mas agora anda fazendo outros trabalhos fora muitíssimo bons. E o bicho tem uma voz magnífica, affe maria, assim como a sonoridade da banda, que dispensa comentários. Olha ele como é gracinha ^^


Bem, resumindo a história, EU RECOMENDO! Quando eles vierem aqui em Fortaleza eu chamo vocês, tá?

Abaixo uma das minhas músicas favoritas (com direito a ponto de marinheiro no final). Ela faz parte do CD de forró "Calendário (O Tempo e o Vento)", do Geraldo Junior com um pessoal show de bola. No site tem todas as informações, e dá até pra baixar as músicas, prestenção!

PS: alguém lembra do DE RUMA?


Num trovejo de vontade
(Geraldo Junior)

Estava na desalegria
Vagando pela cidade
E o mormaço da saudade
Me pegou ao meio-dia
Chega dava uma agonia
O calor e a solidão
Queimavam meu coração
Mais eu não esmorecia

Cai em mim
Chuva que lhe quero bem
Cai em mim
Chuva que quer me molhar
Leve eu e meu amor
Onde o rio me levar
Leve eu e meu amor
E conte os segredos do mar

Eu cantava o meu repente
Quando ouvi o chamado
Eu fiquei emocionado
Quando olhei para o poente
Linda flor vinha contente
Carregada de alegria
Meu amor ela dizia
Como está linda a nascente

Linda flor minha canção
Se passaram tantos anos
Desde que desencontramos
Que em meu peito faz verão
Mais sempre que lhe vejo então
Fico logo em tempestade
Trovejando de vontade
De ser chuva em teu sertão

Oi Zé
Quando for lá na lagoa, oi Zé
Tome cuidado com o balanço da canoa
Oi Zé, faça tudo que quiser, oi Zé
Só não maltrate o coração dessa mulher


sábado, 13 de dezembro de 2008

Mais Cansativas de novo




Esperar o Alex aparecer e comentar já está ficando cansativo também ¬¬

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Mais Cansativas

Mais uma da série "Cansativas"! Estrelando... Na Légia e Marina Madera!






quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Cansativas

Está aberta a série "Cansativas", uma sequência de tirinhas "comemorativas", inspiradas na relação do publicitário Alex Alexandre e as mulheres de sua vida. Aceitamos sugestões!





terça-feira, 27 de maio de 2008

Chico César e Quinteto da Paraíba




Depois de um tempão sem postar no blog, é com muito orgulho que eu o reabro pra falar de mais uma experiência memorável que o Chico César, dessa vez com o Quinteto da Paraíba e o baterista Guegué Medeiros, me proporcionaram nesse domingo.

Nessa vida moderna de mp3, cd, rádio e adjacências, a gente acaba esquecendo de como a música presencial é muito, mas muito mais poderosa. Ela te invade por todos os lados, e não só pelo ouvido; entra dentro de você, vibra com seu corpo, emociona, paralisa, tira o fôlego... ufa!

Gostaria de agradecer ao Chico e ao Quinteto (mesmo sabendo que eles nem vão ler meu blog rsrs... mas o que vale é a intenção :P) por terem me proporcionado esse imenso prazer. Chico é um artista genial, e junto com o Quinteto da Paraíba o resultado é absurdamente belo.

Admirei, invejei, sonhei, dancei... vivi muitas emoções... não todas que gostaria de ter vivido, é verdade rsrs

Tô parecendo uma mongol falando isso, mas eu sou mongol mesmo!

E eu sei que vão fazer comentários maliciosos, e alguns deles irão proceder ehauehaiuheauea

Enfim, falem o que quiser de Chico e de música orquestrada, mas eu A-MO!

Só dando os créditos:
Primeiro violino: Yerko Tabilo
Segundo violino: André Araújo
Viola: Ronedilk Dantas
Violoncelo: Kalim Alvarez
Contrabaixo: Xisto Medeiros
Bateria: Guegué Medeiros